Meu nome é Sandro Roberto Hoici, médico urologista a 17 anos em Nova Andradina, eleito vereador em 2008 e reeleito em 2012. Criei este blog para tratar de assuntos de saúde e também prestar contas sobre meu trabalho na Câmara Municipal.

Destaque

Campanha Saco é um Saco

Campanha

Saco é um saco


Participe você também!

Citação

“A nossa maior glória não reside no fato de nunca cairmos, mas sim em levantarmo-nos sempre depois de cada queda.”
por Confúcio

Cultura

16
out

Dr. Sandro quer que seja disponibilizada meia entrada para idosos

O vereador Dr. Sandro Hoici apresentou indicação durante a sessão de segunda-feira, dia 14 de outubro, solicitando que seja feita ampla divulgação sobre a “meia entrada” para os idosos, garantida pela Lei nº 10.741/2003 (Estatuto do Idoso).Dr. Sandro quer que seja disponibilizada meia entrada para idosos

Dr. Sandro solicita que as empresas que realizam eventos em Nova Andradina sejam notificadas sobre a lei, para que possam constar nos cartazes de divulgação a possibilidade da aquisição dos ingressos com descontos para todos os idosos.

            O vereador afirmou que em virtude de estar sendo procurado por muitos idosos, é necessário que seja adotada esta medida, já que, muitas vezes, os idosos deixam de participar de atividades culturais ou de lazer por falta de informação dos promotores dos eventos.

A lei deve ser efetivamente cumprida”, declarou Dr. Sandro.

            A indicação foi encaminhada ao prefeito Roberto Hashioka, à secretária de Educação, Cultura e Esportes, Nair Lorencini Russo, e à secretária de Cidadania e Assistência Social, Jozeli Chulli da Silva.

20
jun

Com iniciativa do Dr. Sandro, Câmara comemora Dia da Comunidade Japonesa em Nova Andradina.

Por iniciativa do vereador Dr. Sandro Hoici, com o apoio de todos os vereadores, a Câmara Municipal de Nova Andradina homenageou durante a sessão ordinária de segunda-feira, dia 17 de junho, os ex-presidentes da Associação Cultural e Esportiva de Nova Andradina (Acena), em comemoração ao Dia Municipal da Comunidade Japonesa (18 de junho).

Resgatando a história, data de 1908 a chegada oficial do primeiro grupo de imigrantes japoneses no Brasil, que atracaram no Porto de Santos em 18 de junho deste ano.
A história da chegada dos imigrantes japoneses na região de Nova Andradina inicia-se em 1957, com a vinda da família Anzai a convite da empresa Moura Andrade, mas devido a algumas decepções com o cultivo de arroz, a família muda-se para Minas Gerais e retorna dois anos depois.
Nesta época, chega à Nova Andradina Shoji Shirota, também contratado pela empresa Moura Andrade, para a confecção de projetos e medições de terras e retirada da madeira.
Em 1959, a família Anzai retorna à Nova Andradina, e juntamente com a família Shirota, iniciam os projetos para formar a associação, hoje denominada Associação Cultural e Esportiva de Nova Andradina (Acena).
Através de levantamentos extraoficiais, estavam em Nova Andradina nesta época as famílias Shirota, Anzai, Kai, Azuma, Suguimoto, Suguita, Jodai, Takaoka, Itaya, Sakata, Goto, Yano, Yoshioka, Yamamoto, Fujimoto, Fujibayashi, Nakamura, Hashinokuti, entre outras, que juntas, iniciaram o movimento para fundação da Acena, que aconteceu em 16 de setembro de 1960.
De 60 em diante, muitos presidentes passaram pela Acena, e deixaram um importante legado, fazendo jus à homenagem a estes pioneiros.
Foram homenageados os ex-presidentes da Acena Shoji Shirota, Seiti Goto (in memoriam), Shiguetaka Yano (in memoriam), Matae Suguimoto (in memoriam), Junichi Nakamura (in memoriam), Tsuneo Miyazima (in memoriam), Masayuki Azuma (in memoriam), Guissaku Segawa (in memoriam), Paulo Kawabuti, Jaime Kamimura (in memoriam), Massatoshi Azuma, Yosou Jodai, Hiroshi Iwata, Hideo Matsumura, Valter Yasunaka, Luiz Tadao Mitsunaga, Sussumu Kuwabara, Kiyoshi Jodai, Masakasu Azuma, Mario Kai, e o atual presidente da Acena, Roberto Uehara.
O ex-presidente da Acena, Massatoshi Azuma, afirmou que a entidade, que há 53 anos atua em Nova Andradina, deixou como marca diversas atividades sociais, esportivas e de filantropia, resgatando a cultura japonesa. “Nossos sinceros agradecimentos por esta homenagem, e que os vereadores continuem o apoio à Acena”, afirmou.

O vereador Dr. Sandro Hoici, propositor da homenagem, autor do Projeto de Lei 890/2010, que estabelece o 18 de junho como o Dia Comunidade Japonesa, visando preservar a rica história desta comunidade em Nova Andradina, falou do seu orgulho em ser descendente de japoneses. “Apesar de ser um povo sofrido, com muita dedicação, trabalho, os japoneses ajudaram a construir a história deste País. Nova Andradina agradece muito a colaboração desta grandiosa comunidade”, afirmou.

22
jun

Câmara parabeniza Comunidade Japonesa

Imigração Japonesa ao Brasil completou 103 anos. Representando a Comunidade Japonesa, Mario Kai recebeu moção de parabenização na Câmara

Como detentora de uma colônia significativa no Estado, Nova Andradina tem os traços da cultura japonesa espalhados pela cidade a ponto de boa parte deles passarem despercebidos pela população. Afinal, os japoneses estão em Nova Andradina desde sua fundação, onde chegaram os primeiros pioneiros e, hoje, misturados a povos chegados de vários Estados brasileiros e de outros países, que vivem na cidade.

Mas as tradições continuam bem guardadas graças ao empenho da Comunidade Japonesa, presidida por Mario Kai e de e instituições como a Associação Cultural e Esportiva de Nova Andradina (Acena).

Basta uma voltinha pela cidade para se encontrar os traços da cultura japonesa, alguns se destacando na paisagem. Um dos monumentos de destaque, que melhor traduz a influência dos japoneses em Nova Andradina é o Tori, na Praça do Centenário, localizada na Praça Geraldo Mattos Lima. A construção segue os detalhes da arquitetura japonesa, e representa a cultura do país. Mas a cultura japonesa pode ser encontrada também nos esportes, na música, religião e, com destaque, na culinária e artes marciais.

Por toda essa trajetória, o presidente da Câmara de Nova Andradina, Adriano Palopoli e o vereador Dr. Sandro Hoici, entregaram em sessão ordinária desta segunda-feira (20), uma moção de parabenização à comunidade japonesa, através do presidente Mario Kai. A moção trata dos 103 anos da imigração japonesa ao Brasil, destacando que hoje, o país abriga a maior comunidade japonesa fora do Japão, com 1,5 milhão de nisseis – japoneses e seus descendentes, que se somaram como irmãos dos brasileiros, mesclando raças e costumes, contribuindo para o Brasil alcançar um desenvolvimento harmônico e pujante perante os outros países.

20
mai

Mostra Cultural tem início hoje

A II Mostra Cultural de Nova Andradina (Mocuna) será aberta oficialmente hoje às 20h na Câmara Municipal de Nova Andradina. Em sua segunda edição, a Mostra acontece de 20 a 29 de maio, com programação que abrange exibição de filmes, peças teatrais, oficinas, exposição, mini-cursos, orquestras e palestras.

A Mostra Realizada pela Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, sob a direção do Professor Fernandes Ferreira, tem o apoio da Câmara Municipal de Nova Andradina e Prefeitura Municipal de Nova Andradina.

 

 

PROGRAMAÇÃO:

Dia 20

20h | Abertura
Exposição Ofayé: Passado e Presente no Vale do Ivinhema
Filme “Serras da desordem”
Debate com o prof. Giovani J. da Silva (UFMS)
Entrada Franca – Local: Câmara

Dia 21

15h | Peça teatral “Feiurinha”, com o grupo de Artes Cênicas e Dança da UEMS de Campo Grande
Entrada Franca – Local: Câmara Municipal de Nova Andradina

20h |Orquestra de Violões de Campo Grande
Entrada Franca – Local: Câmara Municipal de Nova Andradina

Dia 22

15h | Peça teatral “Os saltimbancos” de Nova Alvorada do Sul
Entrada Franca – Local: Câmara Municipal de Nova Andradina

Dia 23

20h | Palestra “História da Cidade: Muros e Artes – Prof. Igor Vitorino (IFMS)
Entrada Franca – Local: Sala Lúcia de Toledo Piza

Dia 24

20h | Exibição do Filme “Tapete Vermelho”
Debate com a Psicóloga Gisele Gotard e Prof. Igor Vitorino (IFMS)
Entrada Franca – Local: Câmara Municipal de Nova Andradina

Dia 25

20h | Mini-curso “A história do teatro”  – Prof. MSc. Fernandes F.(UEMS)
Entrada Franca – Local: Anfiteatro da UEMS

Dia 26

20h | Mini-curso “Arte e Arquitetura” com Claudia Lima e Leila Ali
Entrada Franca – Local: Anfiteatro da UEMS

Dia 27

20h | Leitura Dramática “O Juiz de Paz na roça”  – Cia TAU e convidados
Entrada Franca – Local: Anfiteatro da UEMS

Dia 28

20h | Espetáculo Respect, o musical
Ingressos: R$ 14 e meia R$ 7 – Local: Câmara Municipal de Nova Andradina

Dia 29

18h | Espetáculo Respect, o musical
Ingressos: R$ 14 e meia R$ 7 – Local: Câmara Municipal de Nova Andradina

20
jan

Como seria viver em outro país?

FreeDigitalPhotos.netVivemos em um país cheio de contrastes, onde ainda há várias barreiras sociais, políticas e economias a serem vencidas. Nos frustamos pela dificuldade e lentidão do país transpor essas obstáculos, e muitas vezes nos questionamos como seria viver em um país diferente do Brasil.

Será que viver na Argentina seria melhor que no Brasil?

O IFITWEREMYHOME (Se Fosse Minha Casa) tenta responder essas questões. Por exemplo, se a Argentina fosse minha casa, em vez do Brasil, eu teria 49% menos chance de morrer na infancia, meu salario seria 35% maior, e viveria 4,5 anos a mais, entretanto, gastaria 78% a mais com cuidados médicos e teria 29% de chances a mais de estar desempregado.

Será que compensa morar na Argentina? E se fosse nos Estados Unidos? Ou em Portugal? Ou quem sabe no Usbequistão?
Será que o Brasil é tão ruim assim?

Consulte o IFITWEREMYHOME e sacie sua curiosidade!