Meu nome é Sandro Roberto Hoici, médico urologista a 17 anos em Nova Andradina, eleito vereador em 2008 e reeleito em 2012. Criei este blog para tratar de assuntos de saúde e também prestar contas sobre meu trabalho na Câmara Municipal.

Destaque

Campanha Saco é um Saco

Campanha

Saco é um saco


Participe você também!

Citação

“No Brasil, quando o feriado é religioso, até ateu comemora.”
por Jô Soares

Dúvidas

11
jul

Ação social com foco em orientações jurídicas pauta indicação na Câmara

Iniciativa visa envolver Prefeitura de Nova Andradina, OAB e faculdade de Direito

imageEm sessão ordinária da Câmara, o vereador Dr. Sandro Hoici (DEM) reiterou indicação para que Nova Andradina seja contemplada com ação social voltada à orientação jurídica à população mais carente.

De acordo com a proposta, a iniciativa consiste na parceria de instituições como a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Faculdade de Direito da Uniesp em Nova Andradina e Prefeitura.

A indicação, já apresentada em 2014, corresponde uma demanda verificada com profissionais da área.  “Muitas vezes, a procura ocorre apenas para que sejam sanadas pequenas dúvidas entre outras orientações mais simples”, expôs.
Ainda segundo o vereador, “esta indicação visa à formalização de parceria entre Prefeitura, Ordem dos Advogados do Brasil e também a Faculdade de Direito de Nova Andradina, para que juntos realizem estas orientações”.

Hoici sugeriu ainda para que o Executivo ceda um espaço como forma de proporcionar infraestrutura nos bairros onde fossem realizados os atendimentos, enquanto a Uniesp disponibilizaria estagiários supervisionados por professores e membros da OAB.

17
jan

NA VOZ DO POVO: JUSTIÇA E CONFIANÇA

Ultimamente os compromissos vocacionais dos médicos brasileiros vem sendo questionados sem qualquer embasamento concreto, no período de 2013 a 2016 a classe médica sofreu constante agressões por meio de interesses monetários e políticos, onde os mesmo vivem em democracia racionada, corrupção e propagandas enganosas.

Nesse período de injustiça, autoridades governamentais passaram a culpa tanto de gestão e descaso com a saúde pública aos médicos, tanto pela precariedade da atenção aos paciente quanto as campanhas hospitalares, onde é comumente se ouvir que falta tudo ou quase tudo. Atribuiu-se a culpa nos médicos pela grande quantidade de litígios judiais, mas fizeram esquecer de que se um dos três poderes da Republica esta desgovernado deve-se ao fato de que os outros dois não devem estar cumprindo seus papéis.

IMG_1237A falta de leitos hospitalares, de radioterapia e quimioterapia, de tratamentos oncológicos, de insumos, de medicamentos inseridos nas cestas básicas do SUS, de medicações efetivas para os portadores de doenças raras ou negligenciadas, bem como a limitada e simbólica disponibilidade de droga eficaz para a cura da hepatite C, a inexistência de terapias imunobiológicas e de erradicação da tuberculose multirresistente são apenas alguns do exemplos das distorções ocasionadas pelo comodismo do Ministério da Saúde. A incompetência administrativa ficou evidenciada pela incapacidade de investir um montante de R$ 136,7 bi nos últimos 14 anos, os mesmo estavam disponíveis em um orçamento inadequado.

… em todo País, os resultados mostraram a Medicina no topo do ranking do quesito de confiança.

Quanto a competência e racionalidade é direito e dever ético, moral e jurídico dos médicos, zelar pela saúde humana. O Poder Público de qualquer esfera não pode se apresentar de forma diferente, sob pena de incidir, censurável omissão e/ou grave comportamento inconstitucional.

IMG_1438Apesar das difamações da categoria médica e das más condutas de alguns profissionais da área, a população ainda dá crédito a imensa maioria da classe. O povo reconhece os esforços médicos, eles veem a humildade e compaixão, e o que a memória popular se lembra é as conversas francas e humanitárias, esses fatos são embasados em uma pesquisa solicitada pelo Conselho Federal de Medicina ao Instituto Datafolha.

Na opinião popular, segundo a pesquisa que entrevistou vários segmentos da população em todo País, os resultados mostraram a Medicina no topo do ranking do quesito de confiança. Assim, o cidadão brasileiro externa sua convicção de integridade e resolubilidade do médico, em péssimas condições de trabalho, fez justiça ao seu desempenho de sua função, verdadeiro exercício da cidadania, em tempo integral e no mais elevado patamar da consciência.

Fonte: Jornal Medicina – Set/2016 CFM

09
mai

Dr.Sandro participa de vários eventos na cidade

Dr.Sandro participou juntamente com o prefeito José Gilberto Garcia, secretários e outros vereadores, de vários eventos realizados nesta última semana.

Inauguração Sala de Informática Escola Brincando de Aprender (27/04)

Inauguração Sala Informática Escola Arco-Irís (28/04)

Inauguração CEI Centro Educacional (30/04)

2º Festival de Bandas e Fanfarras (30/04)

21ª Corrida  do Trabalhador (01/05)

23
mar

A diferença entre Câmara e Senado

Congresso Nacional por Fernando Carreiro

Dia desses recebi e-mail de um leitor perguntando sobre a diferença entre a Câmara dos Deputados e o Senado Federal. A dúvida é normal entre eleitores e população em geral – até mesmo entre os tidos como mais cultos. Aproveitando o momento político que o Brasil vive hoje – de cassação ou não cassação do presidente do Congresso –, vi uma oportunidade para tentar explicar aos leitores/internautas as diferenças de atribuições entre uma e outra Casa.

Bem, o Senado Federal é tido como a Casa revisora do Legislativo. A maior parte dos Projetos de Lei é elaborada na Câmara dos Deputados – até mesmo por uma questão constitucional. Já o Senado – que também tem a incumbência de criar leis, embora em menos freqüência e em menor número que a Câmara – fica incumbido de analisar criteriosamente os projetos elaborados pelos deputados.

A estrutura política do Congresso Brasileiro, em tese, é extremamente bem montada. O Senado é uma casa de "senhores" – para ser senador é obrigatória a idade mínima de 35 anos; já a Câmara é uma Casa para pessoas mais jovens – requer idade mínima de 21 anos. Os mais jovens – com suas idéias mais ousadas – elaboram projetos, e os senadores – tidos como a voz da experiência – revisam os revisam e avaliam. Aliás, a palavra Senado tem origem no termo senex, que em latim quer dizer "velho".

O Senado representa as Unidades da Federação (os Estados). Por isso, independentemente de quantos eleitores tenham cada Estado, são impreterivelmente três senadores representando cada UF no Distrito Federal. A Câmara representa o povo, a população brasileira. Por isso a proporção de deputados é definida a partir do número de habitantes de cada Estado.

Outra peculiaridade determinante na diferença entre as duas Casas é a própria estrutura física dos palácios (veja foto acima). A Câmara dos Deputados tem a copa voltada para cima, ou seja, está aberta ao que vem de fora, tem um contato maior com o povo, representa a população… Já o Senado tem a copa virada para baixo, uma vez que é um representante mais fechado apenas às Unidades da Federação.

Atribuições

Algumas atribuições são exclusivamente do Senado Federal, e outras restritas à Câmara dos Deputados.

Ao Senado compete, em caráter único e exclusivo, processar e julgar o presidente, o vice-presidente, os ministros de Estado e dos Tribunais Superiores; aprovar a escolha de magistrados, ministros do Tribunal de Contas da União (TCU), de presidentes e diretores do Banco Central, do procurador-geral da República e de embaixadores; autorizar operações financeiras de interesse da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos municípios; além de fixar limites da dívida pública da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos municípios.
Agora, os poderes da Câmara: só os deputados podem autorizar a abertura de processo contra o presidente, o vice-presidente e os ministros de Estado; cobrar as contas do Executivo Federal quando não apresentadas ao Congresso no prazo de 60 dias depois da abertura da sessão legislativa

Congresso Nacional

Existem, também, as atribuições do Congresso Nacional – união entre Câmara e Senado –, que tem como presidente o mesmo comandante do Senado.

Votar medidas provisórias, vetos presidenciais, a Lei de Diretrizes Orçamentárias, o Plano Plurianual de Investimentos e o Orçamento Geral da União (OGU); dar posse ao presidente e ao vice-presidente da República; autorizar o presidente e o vice a se ausentarem do país por um período superior a 15 dias; autorizar o presidente a declarar guerra, celebrar a paz, permitir que forças estrangeiras entrem no país e que forças brasileiras saiam; aprovar o estado de defesa, a intervenção federal e o estado de sítio e suspender qualquer uma dessas medidas; deliberar sobre tratados; fixar remuneração dos senadores, deputados, presidente, vice-presidente e ministros; julgar as contas do presidente; apreciar os atos de concessões de rádio e televisão; autorizar referendos e convocar plebiscitos; aprovar iniciativas do poder Executivo no que tange a atividades de energia nuclear. Tudo isso é atribuição do Congresso.

19
mar

Atribuições dos Vereadores

 VEREADOR vem de “verea”, originário do grego antigo, significando vereda, caminho. Vereador seria o que vereia, trilha, ou orienta os caminhos. Existe no idioma brasileiro o verbo verear. Vereador é o mesmo que Edil.

Muito se fala nas campanhas eleitorais, onde candidatos vêm prometendo o que, em tese, não poderão cumprir por total falta de amparo legal. Falam o que querem e o povo gosta de ouvir, praticando, por obviedade uma fraude eleitoral (promessas impossíveis de serem cumpridas).

 

 

Continue lendo… Read the rest of this entry »