Resposta ao internauta:

“Ola Doutor. Louvável a vossa preocupacao com a inclusao digital na sociedade. Porem vejo que isto beneficiaria apenas uma parcela da comunidade. Interessante seria um projeto para REZUZIR a tarifada ENERGIA ELETRICA, e eliminar ou amenizar a TAXA DE ILUMINACAO PÚBLICA. Isto sim pesa no bolso de todos hoje, e com certeza vai beneficiar RICOS E POBRES. Pense nisso, de que adianta internet gratis, se o cara nao tem dinheiro pra comprar computador e muito menos pagar em dia a conta de luz.”

Pelo contrário, a inclusão digital irá beneficiar grande parcela da comunidade, principalmente as pessoas mais carentes, visto que a inclusão irá trazer enriquecimento no conhecimento, maior capacitação, maior integração, e consequentemente, melhores condições para lutar no mercado de trabalho, maior renda, e ascenção social. O governo dispoem de vários programas para financiamento de computadores, e ainda existem os projetos de centros comunitários de inclusão digital, que beneficiam também aqueles que não possuem computador, e também contamos com o centro de inclusão digital municipal, que estará em funcionamento no próximo mês.

Em referencia a tarifa de energia elétrica, concordo com você, mas não é competência do município legislar sobre isso, e sim do Estado, que de certa forma, está “amarrado”, pelo contrato firmado no momento da privatização, e a quebra de contrato resultaria em multa milionária. No entanto, a tarifa é um embate antigo dos nossos Deputados, que recentemente conseguiram uma redução de cerca de 8%. Mas a algum tempo, para consumidores de baixa renda, que consomem até 30kWh/Mês, existe desconto de 65%, para aqueles que consomem entre 30~100kWh/Mês, desconto de 40%, e aqueles que consomem entre 100~220kWh/Mês, desconto de 10%, e ainda, para aqueles que estiverem inscritos em algum programa social do governo federal (Bolsa Familia e outros), e também se inscreverem no programa de “Tarifa Social para Consumidores de Baixa Renda”, e estiverem consumindo até 80kWh/Mês, conseguem desconto de 75%, e entre 80~220kWh/Mês, desconto de 25%.

Quanto a taxa de iluminação pública, que é competência do municipio, também é uma questão, de longa data, bastante discutida.  Se eliminarmos a taxa, corre-se o risco de comprometer a sustentabilidade da iluminação municipal, podendo trazer vários prejuizos a população, outrossim, reduzir sem fazer um aporte com recursos captados de outro setor. Este tema carece de um estudo detalhado para que possamos apresentar algum parecer com soluções alternativas.

Veja também:

  1. Projeto de Inclusão digital é apresentado por Dr. Sandro e Adriano Palopoli
  2. Resposta sobre PSF Móvel
  3. Projeto Cidade Digital em andamento
  4. Acesso à informação através da Biblioteca Digital
  5. Dr.Sandro entrega resposta do prefeito aos comerciantes do CCNA