Medicamentos Ferramenta permitirá aos pacientes agendar a data para retirar remédio. Novo processo melhora o controle dos estoques

Pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) poderão ter acesso a medicamentos em data agendada. O Ministério da Saúde lançou, nesta quinta-feira (3), o Hórus – Sistema Nacional da Assistência Farmacêutica. A ferramenta será implementada como projeto-piloto em 16 cidades (veja quadro) em março e permitirá aos municípios o acompanhamento individualizado do uso de remédios e o controle da distribuição e do estoque em tempo real.
O Hórus está em funcionamento em Recife (PE) desde novembro deste ano. Para utilizar o programa, os profissionais dos 16 municípios do projeto-piloto vão passar por treinamento em janeiro e fevereiro e, em março, começam a utilizar o sistema. A partir de abril, todos os municípios do Brasil poderão usar o sistema gratuitamente. Para isso, as prefeituras que tiverem interesse podem fazer o cadastro no site www.saude.gov.br/medicamentos (seção profissionais e gestores) a partir desta quinta-feira (3).
Para o secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, Reinaldo Guimarães, o novo programa terá um impacto importante na assistência farmacêutica do SUS. “O Hórus permite a melhoria da qualidade da informação, do gasto e da segurança dos pacientes, pois eles tomarão os medicamentos na dose e na data corretas”, afirmou o secretário.
O nome do sistema vem da expressão “Olho de Hórus”, símbolo egípcio que significa saúde e felicidade. No contexto do sistema, ele simboliza o recebimento correto, racionalidade no uso e bom gerenciamento dos medicamentos. “Será o olhar do gestor sobre o que acontece na assistência farmacêutica. Teremos acesso a informações em tempo real e poderemos qualificar a gestão”, afirma o Departamento de Assistência Farmacêutica do MS, José Miguel do Nascimento Júnior.
Ele destaca que, com o novo programa, as pessoas vão conhecer o custo de cada fármaco na hora em que o receberem. O governo poderá controlar a regularidade em que os medicamentos são fornecidos e saber se o paciente foi buscá-los na data marcada. Futuramente, poderá haver um planejamento para que as equipes de saúde da família façam a busca ativa das pessoas que não continuaram o tratamento. “O Hórus é uma ferramenta muito importante. Esperamos a massificação do seu uso para podermos, mais para frente, avaliar o desempenho e o impacto dos novos investimentos em saúde”, diz Nascimento.
INTEGRAÇÃO – O Hórus é um software livre que será operado pelas secretarias municipais de Saúde e almoxarifados centrais. Ele é integrado ao Cartão Nacional de Saúde e ao Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde, o que permitirá o acompanhamento da saúde de cada paciente.
O sistema foi desenvolvido pelo Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos (DAF) do Ministério da Saúde em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Recife.

MUNICÍPIOS QUE IMPLANTARÃO O HÓRUS COMO PROJETO-PILOTO

  • Jundiaí – SP
  • Maringá – PR
  • Diadema – SP
  • Fortaleza – CE
  • Nova Andradina – MS
  • Cristal– RS
  • Pelotas – RS
  • Areal – RJ
  • Aurora – SC
  • Cerejeira – RO
  • Mojú – PA
  • Borba – AM
  • Vitória da Conquista – BA
  • Juína – MT
  • São Lourenço – MG
  • Belo Horizonte – MG

SAIBA MAIS SOBRE O NOVO SISTEMA

Objetivos

• Contribuir com a gestão da Assistência Farmacêutica dos municípios;
• Auxiliar no planejamento, monitoramento e avaliação das ações da Assistência Farmacêutica;
• Aperfeiçoar os mecanismos de controle e a aplicação dos recursos financeiros;
• Ampliação do acesso de maneira a promover o Uso Racional de Medicamentos pela população;
• Qualificar a atenção à saúde da população assistida no SUS.

Vantagens

1. Cidadão (pacientes usuários do SUS)

• Ampliar o acesso aos medicamentos essenciais;
• Realizar agendamento das dispensações;
• Agilizar o atendimento;
• Gerar o perfil e histórico do uso de medicamentos individualizado;
• Possibilitar a avaliação do serviço prestado e o seu custo.

2. Gestores da Saúde

• Conhecer o perfil da população atendida;
• Conhecer o perfil de uso dos medicamentos no território;
• Identificação em tempo real (on-line) o estoque dos medicamentos no almoxarifado e nas Unidades de Saúde;
• Conhecer a demanda atendida e não atendida dos medicamentos;
• Conhecer a origem das prescrições;
• Planejar e avaliar as ações de Assistência Farmacêutica.

3. Assistência Farmacêutica

• Permitir a elaboração de indicadores de Assistência Farmacêutica;
• Possibilitar intervenções em tempo real – gerenciamento estratégico em qualquer ponto do município;
• Aperfeiçoar a gestão da Assistência Farmacêutica (evitar desperdícios; evitar desabastecimento nas farmácias);
• Permitir a rastreabilidade dos medicamentos (registro de lote e validade);
• Permitir a realização de estudos de utilização de medicamentos;
• Maior disponibilidade do profissional farmacêutico para as atividades assistenciais e de treinamento.

Funcionalidades

• Geração de relatórios gerenciais e operacionais;
• Acesso a informações que permitem identificar facilmente os usuários, o perfil de consumo e programas de saúde;
• Registro do histórico dos atendimentos;
• Geração automática do livro de medicamentos sujeitos a controle especial;
• Cruzamento de dados e geração de informações para subsidiar o planejamento das ações em saúde.

Fonte: Ministério da Saúde

Veja também:

  1. Projeto para divulgação dos medicamentos aprovado
  2. Dr.Sandro cobra plano de saúde para funcionários públicos e campanha para doação de medicamentos
  3. Dr.Sandro e Zé Teixeira trazem cardiotocógrafo para Nova Andradina
  4. Zé Teixeira e Dr.Sandro garantem aquisição de cardiotocógrafo para Nova Andradina
  5. Campanha de castração de felinos contribui para o controle de zoonoses