tomateO QUE É O LICOPENO?

É um pigmento vegetal que possui propriedades anti-oxidantes, ou seja, remove os radicais livres que resultam da oxidação das células, e que são produzidos durante as funções normais do corpo humano.

QUAIS OS BENEFÍCIOS?

A exposição excessiva a fumo, poluição ou radiação, aumenta  o “stress oxidativo” para além da habilidade que o sistema de defesa do organismo tem para o combater. O licopeno quando absorvido pelo organismo, ajuda a impedir e reparar os danos causados pelos radicais livres.

Estudos epidemiológicos sugerem que o licopeno tem um efeito benéfico na saúde humana, reduzindo notavelmente a incidência de patologia cancerosa e cardiovascular. Num estudo realizado durante 6 anos, pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de Harvard, foram analisados os hábitos alimentares de 48.000 homens.

Entre aqueles que consumiam tomate, molho de tomate ou pizza duas vezes ou mais por semana, a incidência de câncer da próstata era 21 a 34% menor, dependendo do alimento. Experiências “in vitro” demonstram que o licopeno pode evitar a oxidação do colesterol LDL (colesterol “mau”), reduzindo desta forma o aparecimento de doenças coronárias.

O corpo humano não é capaz de sintetizar licopeno e depende da alimentação para o obter. A boa notícia para quem gosta de tomate, é que este assim como os seus derivados (molho, sumo e Ketchup) são a fonte mais importante deste carotenóide.

MAS SERÁ QUE TODO O LICOPENO INGERIDO É APROVEITADO
PELO NOSSO ORGANISMO?

A absorção do licopeno aumenta quando o tomate é sujeito a um tratamento térmico e, simultaneamente, lhe é adicionado um pouco de azeite. Aposte nos refogados, assim como nos molhos e polpa de tomate.

Sempre que possível opte por utilizar um molho de tomate para acompanhar os seus pratos de peixe e de massa ou acrescentar tomate à sopa de legumes. E não se esqueça que, ao triturar, cozer e juntar um pouco de gordura estará a promover uma melhor absorção deste antioxidante.

Sem mensagens relacionadas.