Meu nome é Sandro Roberto Hoici, médico urologista a 17 anos em Nova Andradina, eleito vereador em 2008 e reeleito em 2012. Criei este blog para tratar de assuntos de saúde e também prestar contas sobre meu trabalho na Câmara Municipal.

Destaque

Campanha Saco é um Saco

Campanha

Saco é um saco


Participe você também!

Citação

“O fracasso é a oportunidade de começar de novo inteligentemente.”
por Henry Ford

15
abr

Dr.Sandro destaca a importância do projeto para economia de água

Água O vereador Dr.Sandro tem se destacado na luta em defesa do meio-ambiente, percebemos isso pelas inúmeras indicações e projetos que vem apresentando na Câmara Municipal, como exemplo a substituição das sacolas plásticas por similares ecológicos, criação do programa de coleta seletiva, formação dos vigilantes juniores do meio-ambiente, uso de papel reciclado nas repartições públicas, programa de eficiência energética, e muitos outros.

Um dos projetos do Dr.Sandro trata da economia e uso racional de água através do uso de  equipamentos, sistemas ou dispositivos hidráulicos que propiciem o controle e redução do consumo, citando como exemplos torneiras e válvulas com redutores e reguladores de vazão, com sistema de fechamento automático, este que foi aprovado por unanimidade em junho de 2009, e até então aguardava regulamentação para entrar em vigor.

Após muita cobrança, esse projeto começa a dar frutos, como podemos ver nas informações no site da prefeitura que informa do inicio do projeto.

A lei abrange as edificações não-residenciais de uso público, os edifícios públicos municipais, os comerciais destinados a escritórios, centros comerciais e de lazer, prédios escolares públicos e privados, prédios destinados à prestação de serviços, tanto públicos como privados, hotéis, motéis, clubes e similares, estádios e ginásios de esportes, hospitais e clinicas, e outras assim consideradas pelos órgãos normativos competentes, federais, estaduais e municipais, que terão prazo de 5 anos para se adequar a nova lei.

Dr.Sandro ressalta que esse tipo de medida é muito importante, pois de toda água disponível no mundo, apenas 3% é água doce, e destes, apenas 0,99% são aproveitáveis. O Brasil possui cerca de 20% das reservas mundiais, mas a maior parte, cerca de 80%, encontra-se na Amazônia. Assim, dispor de grandes reservas, não garante o abastecimento para toda a população, pois estão longe dos grandes centros. As regiões nordeste e sudeste já sofrem com a escassez, esta que pode vir a ser sério limitante no desenvolvimento econômico e social.

“A água é um bem precioso, embora muita gente não perceba, a cada dia está mais escasso. É necessário a tomada de medidas imediatas para que não falte água à nossos filhos e netos. Nunca descansarei na luta em defesa do meio-ambiente, e destaco a atitude responsável  do prefeito Gilberto Garcia, que ficará marcada na história de Nova Andradina”, pontuou Dr.Sandro.

10
fev

Relatório do 1º Seminário sobre Gerenciamento de Resíduos Sólidos e Educação Ambiental

Reciclagem No dia 07 de novembro de 2009 foi realizado o I Seminário Sobre Gerenciamento Integrado de Resíduos Sólidos e Educação Ambiental, na Câmara Municipal de Nova Andradina – MS. O evento teve como objetivo estimular o debate e a troca de experiências sobre o gerenciamento de resíduos sólidos domiciliares, com ênfase em programas de coleta seletiva e organização de catadores.
A coordenação do seminário ficou sob a responsabilidade do Prof. Dr. Marcelino de Andrade Gonçalves, da UFMS, mas a organização reuniu representantes de diversas instituições: Secretaria Municipal de Desenvolvimento Integrado – SEMDI; Prefeitura Municipal de Nova Andradina; Faculdades Integradas Nova Andradina – FINAN; Faculdade de Tecnologia de Nova Andradina – FATEC; Câmara Municipal; Bio-Acess Consultoria Ambiental e da Saúde; Banco do Brasil; Os Movidos Promoções & Eventos; e, ainda, a Deputada Estadual Dione Hashioka e os vereadores Dr. Sandro, Vicente e Marião da Saúde.
Para dar conta do objetivo proposto, foram realizadas quatro mesas redondas, com a participação de palestrantes que são pesquisadores, técnicos e trabalhadores catadores envolvidos na organização de programas de gerenciamento de resíduos sólidos recicláveis com inclusão social de catadores em suas cidades de origem. Assim, o Seminário contou com palestrantes com experiências relativas ao tema, tanto no ramo da pesquisa, ensino e extensão universitária, como no planejamento, execução e manutenção direta dos programas de coleta seletiva.
Diversos palestrantes ressaltaram a importância dos programas de coleta seletiva para minimizar os problemas socioambientais relativos aos resíduos sólidos domiciliares e valorizar os resíduos sólidos recicláveis, gerando emprego e renda. Destacaram, ainda, a responsabilidade da administração pública municipal na elaboração de uma política de gerenciamento integrado de resíduos sólidos e a relevância do estabelecimento de parcerias e apoios com os diversos segmentos da sociedade civil (empresários, universidades, sindicatos de trabalhadores, igreja, etc.) tendo em vista sua implantação.

As palestras permitiram conhecer programas de coleta seletiva e organização de catadores que atingiram bons resultados e cuja experiência pode ser utilizada no planejamento de novos programas ou no aperfeiçoamento de programas já existentes. Além disso, permitiu aos participantes ampliar seus conhecimentos sobre conceitos e aspectos polêmicos envolvidos no debate deste tema, bem como tirar dúvidas por meio de perguntas realizadas aos palestrantes ao final das apresentações em cada mesa redonda.
Desta forma, acreditamos que o evento foi realizado com sucesso, pois atingiu os objetivos propostos e reuniu autoridades públicas, técnicos, professores, alunos e comunidade em geral para o debate e aprendizado coletivo.
A articulação institucional necessária para a organização e realização do evento reforçou ainda mais a parceria já existente entre universidade, prefeitura municipal, câmara de vereadores e todos os demais envolvidos na busca de avanços na gestão e gerenciamento de resíduos sólidos no Município de Nova Andradina, especialmente no que se refere à coleta seletiva e organização de catadores.

Veja o relatório completo

Veja a transcrição do seminário

17
dez

O meio ambiente é uma AMEAÇA ao desenvolvimento

dilma roussef cop15 Dilma Roussef, disse na COP15 que “o meio ambiente AMEAÇA o desenvolvimento sustentável”. A frase foi dita no dia 14/12, em um evento de países emergentes que ela monopolizou, sem deixar espaço para outras delegações se pronunciarem.

[pro-player]http://www.youtube.com/watch?v=cEMxWG_yWGw[/pro-player]

07
dez

Entenda, de uma vez por todas, a COP-15

COP-15 Copenhagen A COP-15 vem sendo amplamente divulgada pela imprensa, ainda mais agora que resta pouco tempo para o início dos trabalhos. Infelizmente ainda temos pessoas que não sabem do que se trata esta importante conferência.
Não precisei conversar com muitas pessoas para descobrir que a maioria não sabe do que se trata. Mas o sangue ferveu quando um sujeito achou que a COP-15 era um campeonato mundial de futebol de juniores que seria realizado em Copenhague. Poxa, não saber do evento a gente até entende, agora ler a notícia e querer entender outra coisa? Pare de lamber sabão meu irmão.
Então para quem ainda está por fora, a COP-15, 15ª Conferência das Partes, realizada pela UNFCCC – Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima, será realizada entre os dias 7 e 18 de dezembro deste ano, em Copenhague (Dinamarca).
Não é exagero dizer que este evento é do interesse de nós todos, pois tem a ver com a sobrevivência humana diante do aquecimento global.
Apesar de se reunirem anualmente há uma década e meia, este ano, a Conferência das Partes tem importância especial. Desde a COP-13 em Bali (Indonésia), espera-se que, finalmente, na COP-15, tenhamos um acordo climático global com metas quantitativas para os países ricos e compromissos de redução de emissões que possam ser mensurados, reportados e verificados para os países em desenvolvimento.
No entanto, se os países não se comprometerem a mudar de atitude, o cenário pode ser desesperador. Correremos um sério risco de ver:
- a floresta amazônica transformada em savana;
- rios com menor vazão e sem peixes;
- uma redução global drástica da produção de alimentos, que já está ocorrendo;
- o derretimento irreversível de geleiras;
- o aumento da elevação do nível do mar, que faria desaparecer cidades costeiras;
- a migração em massa de populações em regiões destruídas pelos eventos climáticos e
- o aumento de doenças tropicais como dengue e malária.
Então não fique por fora, pois você está no mesmo barco.
No próximo post darei detalhes de como você poderá participar cobrando das autoridades que irão se reunir em Copenhague.

Fonte: Publicações do site “Planeta Sustentável”

24
nov

Dr. Sandro propõe Coleta Seletiva Solidária

Recicle Por muito tempo, a coleta e destinação dos resíduos sólidos não apresentaram maiores problemas, uma vez que o lixo era depositado em regiões afastadas e distantes. No entanto, com a crescente urbanização ficou cada vez mais difícil encontrar áreas adequadas que absorvessem a demanda em expansão e o problema ganhou visibilidade. Ciente disso, o vereador Dr. Sandro Hoici destaca a necessidade da busca de alternativas que facilitem a operacionalização do sistema e que atendam aos anseios da população em relação à limpeza urbana e à qualidade de vida. Prova disso é a apresentação de um Projeto de Lei Ordinária de sua autoria, que institui o Programa de Coleta Seletiva Solidária nos estabelecimentos de ensino, órgãos e instituições da administração municipal, direta ou indireta, com destinação às associações e cooperativas de catadores de matérias recicláveis.

Para o vereador, outra questão importante é que, na última década, como conseqüência dos índices alarmantes de desemprego, muitos excluídos sociais encontraram nos resíduos uma forma de sobrevivência.

Estes milhares de trabalhadores informais geram uma macroeconomia que beneficia a sociedade como um todo. Apesar disto estes trabalhadores continuam marginalizados e sem leis que os beneficiem.

Portanto, as questões ambiental e operacional não são únicas na busca de uma solução para o problema que envolve os resíduos sólidos. As ações devem ser escolhidas visando incluir também a população que sobrevive destes resíduos.

“O consumo exagerado e os danos causados à natureza devem ser incorporados à agenda mundial, por meio de políticas de saúde, educação ambiental e desenvolvimento econômico. Portanto, nosso objetivo é que Nova Andradina faça sua parte, identificando as demandas dos catadores para desenvolver e articular ações que promovam a inclusão social e econômica desses trabalhadores”, afirma Dr. Sandro ao defender a proposta como solução para minimizar estes problemas, além de contribuir para o aumento a vida útil dos aterros e permitir que famílias obtenham sustento a partir da coleta.